Os Açores - São Miguel

Aproveite os Açores

Caminhada pela Lagoa Verde

Esta curta caminhada de 5 km passa à volta da Lagoa Verde em menos de 2 horas. Este é o mais pequeno dos dois lagos das Sete Cidades. A caminhada é muito mais fácil do que percorrer os dois lagos e é também bem adequada para crianças e pessoas com condição física moderada. Pode aproveitar a caminhada para comer a melhor pizza da ilha na pizzaria “O Sole Mio” em Ginetes. A diferença de altitude entre o ponto mais baixo e o mais alto é de apenas 100m. Somente no fundo do lago existem alguns lugares onde o caminho sofreu um pouco e onde se formaram alguns degraus. Por razões de segurança, deverá evitar os trilhos pelas encostas e durante chuvas fortes.

Estacionámos aqui o nosso carro no lado este da ponte. Há outro parque de estacionamento na entrada do parque de campismo do outro lado da ponte. Aqui já pode desfrutar da vista da Lagoa Azul. Isto é significativamente maior e contorná-lo é um verdadeiro desafio.

Vista da ponte sobre a Lagoa Azul
Vista da ponte sobre a Lagoa Azul

Vamos lá – O caminho pela Lagoa Verde

A primeira etapa da caminhada, com cerca de um quilómetro de comprimento, levá-lo-á ao longo do caminho pavimentado e transitável até uma zona de piquenique. A partir daí, o trilho continua por mais um quilómetro ao longo da costa leste até às traseiras da Lagoa Verde. A partir daqui o caminho passa pela floresta e é cada vez mais delimitado por plantas. As árvores derrubadas formam pontes naturais sobre o caminho e vê-se, a partir das estranhas formas das raízes, que procuram sempre novas formas de suporte. E as árvores que não o conseguiram fazer jazem na margem do lago.

Em algumas zonas o caminho passa por degraus mais ou menos conservados. Se houver “circulação em sentido contrário” nestes pontos, é aconselhável esperar num ponto ligeiramente mais largo.

A Lagoa Verde e a sua história

Juntamente com a Lagoa Azul, a Lagoa Verde é o maior lago dos Açores. Ambos estão ligados e são também o lago mais profundo de São Miguel. Mesmo que haja uma explicação racional para as cores dos lagos, a lenda é a explicação mais bela.

De acordo com a lenda, a causa da cor remonta ao tempo dos reis. Uma princesa que amava a natureza da região mais do que as muralhas do castelo, encontrou um pastor nos seus passeios pelos campos (Aqueles que viram as ruínas do hotel acima na Vista do Rei certamente compreenderão porquê). Ele tinha acabado de regressar com o seu rebanho. Começaram a falar e, ao longo do tempo, descobriram muito em comum e apaixonaram-se. Encontravam-se, então, repetidamente. No entanto, a princesa já estava prometida a um príncipe, pelo que o seu pai proibiu a continuação dos seus encontros. Apenas concordou com uma última despedida. Quando os dois amantes se encontraram pela última vez, choraram tanto que se formaram dois lagos a seus pés. Das lágrimas dos olhos azuis da princesa surgiu a Lagoa Azul e dos olhos verdes do pastor nasceu a Lagoa Verde. Assim, os amantes não podiam ficar juntos, mas no seu lugar os dois lagos permaneceram unidos para sempre.

De volta em direção para a Lagoa Azul

O caminho de regresso é novamente muito fácil de gerir ao longo da berma da estrada para a zona de piquenique. Apesar da estrada, este é muito descontraído, pois a estrada termina ali e não há muito trânsito. Tem uma excelente vista daqui até à margem oposta da caldeira.

Encosta a leste da Lagoa Verde
Encosta a leste da Lagoa Verde

Após pouco menos de 2 km chegará novamente à ponte e pouco depois ao seu carro.

Next Post

Previous Post

© 2022 Os Açores – São Miguel

Theme by Anders Norén  Powered by Quasiris GmbH